sábado, 27 de dezembro de 2008

Sente Isto


Quando me tocares, sente que sou eu.

Enterra tua mão na minha carne

E arranca de uma vez só, o coração.

Quando me pegares ao adormecer



E me elevares num sonho de sensações

Atira-me ao ar leve,

Não tenhas dó ou pena

No magoar da queda desse vôo.



Quando fizeres parte de mim,

E eu de ti,

Faz parte também de meu sangue.

Bebe-me da mesma gota

Em que eu te bebi.

Cairemos os dois embriagados.



Quando se acenderem as velas todas,

Só tu, e mais ninguém,

As poderá apagar

E adormecer na minha escuridão.

9 comentários:

  1. Bem vindo à blogosfera e obrigada pela visita.
    Bom Ano Novo

    ResponderEliminar
  2. Muito lindo o teu poema. Venho retribuir a visita, com plena certeza de regressar mais vezes. :)

    ResponderEliminar
  3. primeiro que tudo, obrigada pela visitinha ao meu blog.
    segundo, gostei muito do teu poema. acho que tens jeito!
    terceiro, venho desejar-te tambem um bom 2009, com muitos mais poemas aqui no blog para eu e outras pessoas os virem ver...
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. oh =$ obrigada!

    Esse poema é um bocado... hm... violento! :P mas gostei. A paixão é mesmo assim, não é? x)

    Beijinho* :D

    ResponderEliminar
  5. Querida minii , a paixao e' um sentimento que nos atravessa a alma completamente e revolta tudo dentro de no's ..

    :D

    Obrigado , Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Opal Whiteley , que simpatica , acredita q o ano que vem trara muito mais de mim , muitos frutos do sentimentu e' o que espero ..

    Obrigado pela visita :)

    *

    ResponderEliminar
  7. Temos poeta? ;)

    Gostei, muito :)

    Beijocas

    ResponderEliminar